Início > BPM Lean Six Sigma > Análise dos Requisitos de Negócio x Atividades no local verdadeiro – GEMBA 現場

Análise dos Requisitos de Negócio x Atividades no local verdadeiro – GEMBA 現場

Você já teve aquele frio na barriga ao especificar um item do escopo e sentir receio de que pode sair debaixo dele um elefante depois?

Pois é, que tal orientar a análise dos requisitos de negócio através dos processos de negócio? Se lhe interessar esse assunto, siga o texto abaixo!

Os Clientes têm várias maneiras de comunicar suas necessidades:

1. Em altíssimo nível: preciso vender mais;

2. Em alto nível: preciso de um controle de estoque;

3. Pontual: preciso melhorar o apontamento de uma atividade;

4. Relatando os problemas: isso sempre ocorre no final do mês;

5. Criticando um procedimento: isso não deveria ser assim.

6. Além de outras maneiras.

O papel do profissional de melhoria (Black Belt, Sensei, etc.) é classificar as informações identificando a relação de causa e efeito entre o relato e os processos de negócio.

Nesse momento é importante utilizar o SIPOC para identificar as fronteiras dos processos dos cenários de negócio com a necessidade do cliente.

 

É importante identificar os requisitos de negócio alinhados no nível de atividade dos processos de negócio para identificar o que a empresa pode ganhar com o projeto.

Mentalmente, durante as interações com o cliente, conseguir classificar as soluções da seguinte maneira na situação desejada, sem se importar com o detalhe nesse momento, ou seja, a regra:

· Todos os produtos são etiquetados;

· Todos os produtos são vendidos;

· Todos os produtos são entregues com certificados de análise;

· Todas as sucatas são oriundas de fornecedores ou clientes;

· Todas as devoluções são recebidas pela empresa.

Quando o requisito de negócio está alinhado no nível de atividade de processo, é possível identificar a atividade crítica responsável por esse requisito de negócio e outros requisitos de negócio que não foram citados e que devem fazer parte da investigação.

Nesse momento, direcionar a comunicação para a captura dos requisitos de negócio, que devem possuir a aparência com regras, mas de alto nível: (todos os produtos possuem classificação química).

Outra maneira de tratar a classificação da comunicação em requisitos de negócio é tratá-los como eventos de negócio acontecendo na situação desejada, assim como segue:

· Produtos etiquetados;

· Ordens de venda de produtos criadas;

· Produto com certificado de análise recebido pelo cliente;

· Sucata de fornecedores ou clientes recebida pela empresa;

· Devoluções de clientes recebidas pela empresa.

Outra maneira de tratar a classificação da comunicação em requisitos de negócio é tratá-los como necessidade (deve existir), assim como segue:

· Deve existir a etiquetagem dos produtos;

· Deve existir a venda de produtos;

· Deve existir o recebimento do produto com certificado de análise pelo cliente;

· Deve existir o recebimento da sucata de fornecedores ou clientes pela empresa;

· Deve existir o recebimento das devoluções de clientes pela empresa.

Podem existir outras maneiras derivadas das três acima ou novas de possuir os requisitos de negócio, o importante é que todos os BPX’s possam fazer isso e comunicarem entre si sobre todo o desenho de processos de negócio que serão alterados ou criados para a situação desejada de um projeto.

Ganhos:

· Fazer o relacionamento de 1 para 1 entre requisitos de negócio e atividades dos processos de negócio;

O escopo torna-se menos frágil quanto às mudanças.

RN_Atv

Veja que na figura acima, depois é possível manter máquina de estados para o requisito de negócio a partir de seu STATUS. O Processo de Apontamentos de Produção possui atividades e cada uma dela um Requisito de Negócio.

Daí, vem a pergunta: quem surgiu primeiro o Requisito de Negócio ou a Atividade? O ovo ou a galinha?

Prefiro supor que de modo informal o processo foi sendo constituído ao ponto que ele se apresenta originalmente. É óbvio que dessa maneira, não se pensou na dimensão financeira no que tange aos custos, nem na pessoal no tange ao perfil de trabalho, etc.

Portanto,

O profissional facilmente pode transformar o requisito de negócio (evento de negócio ou regra de alto nível) em uma atividade crítica do processo de negócio:

· Produtos etiquetados –> Etiquetar Produtos;

· Ordem de venda emitida –> Emitir Ordem de Venda;

· Certificado de análise emitido para produto –> Emitir Certificado de Análise para Produto;

· Sucata recebida de fornecedor ou cliente –>  Receber Sucata de Fornecedor ou Receber Sucata de Cliente;

. Devolução de cliente recebida –> Receber Devoluções de Produtos

Daí,

O profissional, de posse das atividades com seus requisitos de negócio, precisa investigar atividades anteriores e posteriores (Ir ao GEMBA – 現場), tomadas como pontos de partida. Isso se deve a necessidade de ter a maior certeza possível de que tudo foi levado em consideração, mas somente o “tudo” que é cabível para o projeto no momento.

1. Com a finalidade de <atividade> para que <requisito de negócio>, qual(is) requisito(s) de negócio anterior(es) ou posterior(es) é (são) necessário(s)?

2. Se não existir(em) atividade(s) anterior(es) que dê(em) suporte ao requisito de negócio em questão, ele deve assumir a posição do passo 1 e continuar com esses três passos até que todas as atividades / requisitos de negócio sejam levantadas. Suporte significa: não fornece o apoio que a atividade posterior necessita para atingir seu objetivo/finalidade.

3. Se não existir(em) atividade(s) posterior(es) que dê(em) suporte ao requisito de negócio em questão, ele deve assumir a posição do último passo e continuar com esses três passos até que todas as atividades / requisitos de negócio sejam levantadas. Suporte significa: não fornece o apoio que a atividade posterior necessita para atingir seu objetivo/finalidade.

Exemplo:

Pergunta: Com a finalidade de emitir o certificado de análise para que todos os produtos sejam entregues com certificado de análise, qual ou quais requisitos de negócio anteriores são necessários?

Resposta: Validar classificações da qualidade.

O importante é que o profissional tenha o grupo de requisitos necessários para conduzir um projeto que leve a empresa da situação atual para a situação desejada.

Próximo post, colocaremos cá sobre Regras de Negócio.

E está dito.

Categorias:BPM Lean Six Sigma
  1. Joaquim Santos
    dezembro 17, 2010 às 5:29 pm

    Achei muito interessante essa classificação e alinhamento com as atividades do processo. Nunca pensei em classificar assim!

  2. junho 11, 2011 às 2:32 am

    Você pode fazer com que cada requisito de negócio gere apenas uma atividade. Dessa maneira você tem o requisito de negócio normalizado e estabelecido no tempo.

    E se você conta com algo estabelecido no tempo, então, você pode contar uma história do processo de negócio com o colar de atividades.

    É isso!

    Udo

  1. abril 10, 2010 às 3:48 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: