Metodologia BPM DMAIC

cerejeira_japonesa1 Musashi Go_Rin_No_ShoTechnique

“Não sinta apego por nenhuma ferramenta ou escola de luta” – Miyamoto Musashi

O que Musashi sensei quis dizer é: não tenha paixão pela técnica, mas sobretudo ponha toda sua energia na busca pelos resultados! Ele escreveu sobre isso no seu livro sobre a estratégia de guerra (五輪書, Go Rin No Sho).

A Metodologia BPM DMAIC tem sido minha inspiração em customizar as técnicas do Lean Six Sigma + as técnicas do BPM CBOK, que conta com uma rede humana inspirada no trabalho por processos de negócio sustentáveis. Por que sustentáveis? Porque se baseiam em princípios sistêmicos.

Unir os ganhos do Lean Six Sigma (DMAIC) e os fundamentos do BPM (Business Process Management) cria uma alavanca muito forte para os projetos. Com as fases do D-M-A-I-C, os projetos possuem os seguintes ganhos:

  1. Definição – “Regra do Jogo” definida! Levante as fronteiras da mudança com os processos de negócio através do SIPOC. Escute o cliente, sua voz, entenda o tom e o fluxo da verdade quando ele expressa suas necessidades. Mergulhe no desconhecido e expresse formalmente através de objetivo e fatores críticos de sucesso os ganhos do produto + projeto. Por último, estabeleça a lista de Requisitos de Negócio.
  2. Medição – Genchi Genbutsu (現地現物), vá e veja você mesmo se a Regra é concernente ao Jogo! Levante o fluxo de valor através do Mapa de Fluxo de Valor, descobrindo as métricas de processo, mapeie os processos e suas atividades (AS-IS) e amplie a visão panorâmica dentro de um Ishikawa: Causas – Efeito. Estratifique com base nas Causas, desenvolva e teste uma Folha de Verificação para a coleta dos dados. Calcule a capacidade do processo atual. Finalmente, planeje e execute a coleta dos dados dados!
  3. Análise – Através da Folha de Verificação executada realize uma análise preliminar usando o Pareto, buscando o princípio 80/20. Estabeleça os Requisitos Funcionais e Não-Funcionais que adequadamente satisfaçam aos Requisitos de Negócio. Para adequadamente relatar como será a situação desejada, crie a lista de Requisitos Operacionais. Detecte os pontos de melhoria nos processos (TO-BE), identificando as mudanças necessárias. Apresente as melhorias assim como as alternativas.
  4. Implementação da Melhoria – Finalize as mudanças nos processos (TO-BE). Estabeleça um Plano de Ação de Melhoria. Acompanhe esse plano através de Reunião Diária e Burndown Chart além da Implementação puxada. Teste em pequena escala a melhoria. Alcançado o ganho, calcule a capacidade do processo futuro e amplie em larga escala as mudanças. Enfim, prepare-se para a fase de Controle.
  5. Controle – Realize forte trabalho tático para a passagem de bastão. Continue levantando os dados para acompanhamento da melhoria. Realize um plano de controle forte no objetivo de que as melhorias sejam mantidas e melhoradas.

DMAIC

Próximos posts, citarei algumas ferramentas usadas na metologia.

 

E está dito (forma de escrever que lembra o saudoso Drummond).

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: